Uma garotinha de apenas 4 anos foi uma médicas após reclamar de dores abdominais suspeitaram de constipação ou apendicite, mas os exames revelaram um tumor com o tamanho aproximado de uma bola de futebol.

“O médico pensou que poderia ser constipação, então, nós tratamos, mas, três dias depois, a rigidez em seu abdômen se transformou em um nódulo perceptível”, contou a mãe da pequena Beau, Shirley Hepworth.

Se trata de um neuroblastoma de alto risco no estágio 4, muito avançado. Esse câncer afeta principalmente crianças menores de 5 anos.

Crianças com a doença têm 50% de chance de sobrevivência, uma das menores taxas de sobrevivência de todos os cânceres infantis.

A garotinha está no estágio final de tratamento, que dura três meses.

menina - Criança diagnosticada inicialmente com constipação tem câncer raro

O local mais frequente para o aparecimento desse tumor é o abdômen, correspondendo a 65% dos casos, principalmente na glândula adrenal.

Um dos sintomas mais comuns do neuroblastoma no abdômen é um grande nódulo palpável ou inchaço. A doença também pode provocar inchaço nas pernas, parte superior do tórax, pescoço ou rosto, problemas respiratórios, perda de peso, hematomas ao redor dos olhos, dor nos ossos e dificuldades engolir.

Shirley Hepworth, 40, a mãe da pequena, está atualmente tentando arrecadar £300.000 para pagar um tratamento inovador nos EUA que poderia ajudar Beau, de quatro anos.

meninamae - Criança diagnosticada inicialmente com constipação tem câncer raro

“Mas, é absolutamente necessário tratar a doença. Ela fez quimioterapia, colheita de células-tronco, cirurgia abdominal importante, transplante de células-tronco, radioterapia, imunoterapia – eles literalmente pararam por nada.

Fonte indicada e adaptada: Catraca Livre

RECOMENDAMOS






Colha o dia, aproveite o momento...