Em meio a tristeza e a destruição em Petrópolis, a população se uniu para dar força uns aos outros, e alguns até mesmo arriscaram as próprias vidas para salvar os outros.

Esse foi o caso do despachante Samuel de Oliveira, que resgatou um casal que estava prestes a afogar dentro de um carro.

“Eu comecei a escutar gritos de socorro. Pulei em cima do carro e vi que tinha gente dentro dele. Começamos então a quebrar a traseira do carro e puxamos o casal. Eles gritavam por socorro, e a gente pedia para eles terem calma, que logo mais conseguiríamos tirá-los”, diz Oliveira.

Algumas pessoas contaram que o casal estava preso no carro há cerca de duas horas.

Segundo Oliveira, o casal ainda conseguia respirar em razão de um bolsão de ar dentro do veículo. “Tivemos que pensar muito rápido para resgatá-los, porque ficamos com medo de voltar a chover e entrar mais água no carro. Mas, graças a Deus, conseguimos tirar eles sem nenhum arranhão”, diz o despachante.

Ele afirma ainda que nunca viu em Petrópolis uma chuva com tamanha intensidade quanto a que caiu ontem.

“A casa caiu e não restou nada. Acabou tudo. Agora é esperar e ver o que o poder público pode fazer pela gente. Eu sei que está difícil para todo mundo, mas que a gente não seja esquecido”, diz Marcelo, que estava a caminho da casa de parentes após ter sua casa destruída pela chuva.

A expectativa de Soares agora é conseguir reconstruir a própria vida. “Nós vamos tocar a nossa vidinha e ver o que vai acontecer, porque isso é muito sério. Nunca vi acontecer algo dessa intensidade em Petrópolis.”

Fonte indicada e adaptada: Folha de São Paulo

RECOMENDAMOS






Colha o dia, aproveite o momento...