Estudos e pesquisas recentes nos mostraram como o papel das abelhas é importante para a reprodução de diversas plantas. Ao serem um dos principais animais polinizadores, são responsáveis ​​pela polinização de 75% das lavouras do mundo todo, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Infelizmente, esses preciosos seres estão morrendo rapidamente. No Brasil, no período de três meses, morreram mais de 500 milhões de abelhas e isso coloca aspectos do nosso cotidiano em sério perigo.

abelhas - 500 milhões de abelhas morrem no Brasil em três meses e a nossa alimentação está em perigo

As maiores perdas foram em 4 estados brasileiros: 400 milhões no Rio Grande do Sul, 7 milhões em São Paulo, 50 milhões em Santa Catarina e 45 milhões em Mato Grosso do Sul. Os dados retratados são de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019. Números verdadeiramente assustadores, não?

Pesquisadores culpam esse escandaloso número ao aumento do uso de pesticidas que adoeceu e matou colméias inteiras: “Assim que as abelhas saudáveis ​​começaram a tirar as abelhas moribundas das colméias, elas foram contaminadas. Eles começaram a morrer em massa ” contou o vice-presidente da associação apícola do Rio Grande do Sul, Aldo Machado.

abelhas2 - 500 milhões de abelhas morrem no Brasil em três meses e a nossa alimentação está em perigo

Um dos mais de 300 pesticidas aprovados desde janeiro pelo Governo Brasileiro, o fipronil, foi classificado ainda como um possível agente cancerígeno humano, comprovando que além de adoecer milhões de abelhas, também pode estar fazendo mal a nós humanos. “A morte de todas essas abelhas é um sinal de que estamos sendo envenenados” disse Alberto Bastos, presidente da Associação Apicultora do Distrito Federal do Brasil.

Fonte indicada e adaptada: Bored Panda


RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Mariana Marques
Sou estudante, apaixonada por Harry Potter, mãe da Elisa (que está pra nascer) e decidi criar, juntamente com o meu namorado Lucas, a Revista Carpe Diem. Vamos falar de temas atuais, sempre com foco na sustentabilidade e na divulgação de ações humanitárias.