Policiais da Nova Zelândia foram acionados após receberem um chamado de um restaurante japonês, nesta quarta feira (17). Até então tudo certo, porém, dois pinguins invadiram o estabelecimento pela segunda vez.

Os animais da espécie pinguim-azul (Eudyptula minor) nesta época do ano, costumam sair em busca de lugares seguros para que possam se reproduzir e construir seus ninhos.

Segundo à agência Associated Press (AP) Jack Mace, gerente de operações do Departamento de Conservação neozelandês; esses animais estão próximos da área de desova e pensaram que poderia ser um lugar seguro para eles.

Já o dono do estabelecimento disse que os pássaros encontraram um ótimo lugar, bastante confortável que fica no porão da loja, falou também que onde esses pinguins se estabeleceram, não havia nenhum contato com os peixes crus que são vendidos no andar de cima.

Esse caso, foi considerado pela policia como “vadiagem”, já que não foi a primeira vez que os animais utilizaram o restaurante japonês de hotel e insistiram em se aninhar mesmo depois de capturados e escoltados de volta ao oceano.

Agentes foram noticiados de que aviam pinguins à solta na cidade, foram encontrados e retornados ao mar. Logo, depois foram noticiados de dois clientes, que não foram convidados pelo restaurante Sushi Bi, que se encontra ao lado de uma estação de trem, bastante movimentada.

ap19198200374073 - Após assaltarem restaurante japonês na Nova Zelândia pinguins são detidos
G1

Um proprietário da loja, Long Lin, disse que não fazia ideia de que os animais se interessavam pelos seus produtos: “Eu estava em pânico, não sabia o que fazer”.

Long Lin, proprietário da loja, relatou que enquanto arrumava seu estoque foi surpreendido pelas aves, que se encontravam próximos de um tanque d’água. Quem diria, que ali haveria um casal de fugitivos.

Após chamar as autoridades, o proprietário se machucou enquanto tentava manter os pinguins dentro de sua loja, para que não escapassem.

“Foi um pouco selvagem”, disse Long Lin.

Com uma caixa especial, os guardas retiraram as aves de baixo do freezer e levaram os pinguins até o porto, que fica à mais ou menos 200 metros da loja. Após esse ocorrido, não se tem mais relatos desses pinguins-azul.

A população dessa espécie, conseguiu se recuperar em Wellington com ajuda da remoção de predadores e esforços de conservação, como auxílio na criação de ninhos artificiais.

Fonte indicada: G1 Globo


RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Carpe Diem
Colha o dia, aproveite o momento...