Nahiid Stephens foi o especialista responsável por perceber que as tempestades passaram a gerar uma alteração na salinidade do mar, vindo a causar diversas feridas na pele dos cetáceos, podendo ser igualadas a “queimaduras de terceiro grau em humanos”.

O aquecimento global traz contigo diversos tipos de estragos, em que pode ser citado o derretimento de geleiras nos polos. Infelizmente não se tem um estudo dizendo tudo que irá ser afetado com o aquecimento global, mas com o passar dos anos, os problemas começam a aparecer. Uma delas é o caso dos golfinhos, que de acordo com as pesquisas no site Nature, as complicações de pele nesses animais marítimos estão ocorrendo em decorrência de fatores ambientais.
Captura de Pantalla 2020 12 30 a las 12.45.40 - Eles descobrem "dermatite ulcerativa" em golfinhos devido ao aquecimento global. Uma chamada de atenção

” Rupturas na pele fazem com que os golfinhos percam íons vitais e proteínas de seus corpos, então, quando tudo isso está vazando deles, a água fresca entra e causa inchaço e úlceras ” , explicou Nahiid, um dos pesquisadores.

Os estudos realizados demonstra que esses golfinhos estavam sofrendo de “dermatite ulcerativa”, mais conhecida como “doença da água doce”. Após uma década e meia de estudos, foi explicado que os problemas à saúde deles teve como principal responsável as condições climáticas.

Captura de Pantalla 2020 12 30 a las 12.45.27 - Eles descobrem "dermatite ulcerativa" em golfinhos devido ao aquecimento global. Uma chamada de atenção

Fonte indicada e adaptada: Upsocl

RECOMENDAMOS






Viciado em games, estudante de Educação Física na UFG, pai da Elisa (que ainda está pra nascer) e apaixonado por futebol. Em parceria com minha namorada Mariana, criamos a Carpe Diem com o objetivo de espalhar notícias boas e positivas. sempre antenados com a preservação ambiental.