Sendo oficialmente considerada a forma mais barata de gerar eletricidade atualmente, a Agência Internacional de Energia (IEA na sigla em inglês), deixou concretizado em seu relatório anual World Energy Outlook 2020, publicado a pouco tempo.

“Com drásticas reduções de custo na última década, a energia solar fotovoltaica é consistentemente mais barata do que novas usinas a carvão ou gás na maioria dos países, e os projetos solares agora oferecem alguns dos menores custos de eletricidade já vistos”, garantiu o documento.

O relatório apresentado este ano, nos conta que a fonte solar é cerca de 20 a 50% mais barata, mais barata do que esta própria agência estimava em 2019.

“Vejo a energia solar se tornando o novo rei dos mercados mundiais de eletricidade. Com base nas configurações de política de hoje, está a caminho de estabelecer novos recordes de implantação”, contou o Dr. Fatih Birol, o Diretor Executivo da IEA. “Se governos e investidores intensificassem seus esforços de energia limpa, o crescimento da energia solar e eólica seria ainda mais espetacular – e extremamente encorajador para superar o desafio climático mundial”, concluiu.

Birol revela que, a era de crescimento da demanda global de petróleo chegará ao fim na próxima década” da mesma maneira que terá uma baixa demanda por carvão até 2040, cerca de 20% à menos, um feito histórico.

Uma belíssima notícia junto a está esplendida notícia é que com a redução de emissões de poluentes, o investimento em energias renováveis pode ter por consequência um aumento na criação de empregos, como já foi indicado pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA).

Fonte indicada e adaptada: CicloVivo

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Lucas Mendes
Viciado em games, estudante de Educação Física na UFG, pai da Elisa (que ainda está pra nascer) e apaixonado por futebol. Em parceria com minha namorada Mariana, criamos a Carpe Diem com o objetivo de espalhar notícias boas e positivas. sempre antenados com a preservação ambiental.