Após longos 10 meses de pandemia, deixamos nosso imenso agradecimento para quem está na linha de frente nesse combate, vocês que arriscam suas vidas para salvar outras vidas, e com toda certeza esse agradecimento ainda não será suficiente. Este enfermeiro de Caapiranga, no Amazonas, Brasil, fez uma maravilhosa ação e com toda certeza tocou o coração de todos.

Raimundo Nogueira Matos, de 38 anos, foi visto dando um abraço confortante em um paciente com síndrome de Down, que infectado pelo COVID-19, estava com medo de usar a máscara de oxigênio, precisando com emergência. Esse enfermeiro conseguiu conquistar a confiança de seu paciente, amenizou o medo e fez com que ele respirasse a máscara já em um momento crítico.

Captura de Pantalla 2021 01 26 a las 13.43.02 - Enfermeiro abraça e dá oxigênio a paciente com síndrome de Down que temia a máscara. Deu-lhe calma

“Como o paciente é especial, ele não entende a importância do tratamento . Nesse caso, precisávamos oferecer oxigeno terapia com a máscara, com aquele reservatório; e ele estava muito ansioso. Aí ele me abraçou e eu consegui acalmá-lo , chegar mais perto ”, revelou Raimundo em uma conversa com a UOL.

Podemos ver na foto, o profissional abraçando Émerson Júnior, de 30 anos, enquanto coloca a máscara respiratória. Esta cena deixou todos emocionados, principalmente aqueles que estavam por ali presente, dando um certo conforto em nossos corações, mostrando que ainda se tem pessoas com compaixão em nosso mundo, e que quando gostamos do que fazemos todo o esforço se transforma em conquista.

Captura de Pantalla 2021 01 26 a las 13.23.19 - Enfermeiro abraça e dá oxigênio a paciente com síndrome de Down que temia a máscara. Deu-lhe calma

“Fizemos o melhor que podíamos lá. Agora está estável, dentro de seus limites ” , revelou o enfermeiro.

“Em oito meses na linha de frente, nunca havia estado nessa situação. As enfermeiras apontam muito para a biossegurança . Para mim, é muito importante usar corretamente os equipamentos de proteção individual . Sei o risco que posso correr às vezes, mas como ele é um paciente especial, precisava de muito carinho ”, disse.

Fonte indicada e adaptada: Upsocl

RECOMENDAMOS






Viciado em games, estudante de Educação Física na UFG, pai da Elisa (que ainda está pra nascer) e apaixonado por futebol. Em parceria com minha namorada Mariana, criamos a Carpe Diem com o objetivo de espalhar notícias boas e positivas. sempre antenados com a preservação ambiental.