Devido a tubulações públicas danificadas ou velhas por conta de obras mal feitas ou ligações clandestinas, cerca de 37% de nossa água tratada é desperdiçada antes de chegar a nossas torneiras. Afirma a Agência Nacional de Águas (ANA).

Os Estudantes de Irati (PR), do Colégio Sesi decidiram então desenvolver um sistema inteligente e de baixo custo para resolver esse problema. O funcionamento é simples: duas fitas de cobre são ligadas a sensores de umidade, que são conectadas a uma central montada utilizando Arduino, uma plataforma de prototipagem eletrônica. Caso uma dessas fitas detectar algum tipo de umidade, irá ter uma luz indicando o vazamento.

Esse projeto foi considerado o melhor de 150 apresentados na 7º edição da Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (Ficiencias). Após ser realizados testes com o novo protótipo, perceberam uma viabilidade de implantação diminuindo o desperdício em 7%. Buscando parcerias com universidades o grupo agora procura programar um aplicativo de celular para que haja um monitoramento até mesmo individual.

“Para os trabalhadores, ele tem uma grande importância, pois atualmente eles têm ficado debaixo de sol e chuva andando quilômetros em cima das redes de canos da cidade procurando vazamentos utilizando um aparelho chamado stick‘, que não é muito preciso e, às vezes, não acha um vazamento se for muito pequeno. Usando a central de monitoramento, vai ficar um profissional cuidando da central e vendo se não há algum sinal luminoso informando vazamento.” Disse Luiz Fernando Zavelinski um dos estudantes responsável pelo projeto.

Fonte indicada: The Greenest Post


RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Revista Carpe Diem
Colha o dia, aproveite o momento...