A Universidade de Chicago, nos Estados Unidos realizou um estudo muito interessante e importante em um momento de distanciamento social como o que estamos vivendo: revelou que a voz da mãe ao telefone conforta os filhos tanto quanto um abraço.

Durante o estudo foi observada 60 meninas com idades entre 7 a 12 anos submetidas a situações de estresse. Foi observado que a voz materna tem a capacidade de gerar nos bebês e crianças estímulos semelhantes aos que recebem quando estão em contato direto com as mães.

Quando a criança ouve a voz da mãe, seus ouvidos enviam estímulos ao cérebro parecidos aos que enviariam se estivessem abraçadas as suas mães, daí a sensação de acolhimento mesmo à distância.

As meninas tiveram que resolver questões de aritmética em público inesperadamente, o que acelerou os seus batimentos cardíacos e elevou os níveis de cortisol, o chamado hormônio do estresse. Divididas em três grupos: o primeiro recebeu uma ligação telefônica da mãe; o segundo, um toque carinhoso, como um abraço; e o terceiro assistiu ao filme A Marcha dos Pinguins, considerado pelos cientistas como sendo emocionalmente neutro.

Segundo o monitoramento dos cientistas, os dois primeiros grupos revelaram um aumento idêntico no nível de oxitocina, uma espécie de “sedativo natural”, o que não ocorreu com o terceiro grupo.

Fonte indicada e adaptada: Minha Vida

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Mariana Marques
Sou estudante, apaixonada por Harry Potter, mãe da Elisa (que está pra nascer) e decidi criar, juntamente com o meu namorado Lucas, a Revista Carpe Diem. Vamos falar de temas atuais, sempre com foco na sustentabilidade e na divulgação de ações humanitárias.