Desde os seus 8 anos de idade, Madalena Gordiano passou por condições análogas a escravidão, em Patos de Minas(MG). Já com seus 46 anos, ela conta que era responsável por realizar trabalhos domésticos sem receber salário, férias, folga ou liberdades pessoais.

“Adotada”, por professores, ela não pôde continuar frequentando a escola e nunca se quer ganhou algum tipo de brinquedo. Notícia divulgada pelo “Fantástico” no domingo, 20.

Tudo teve início quando Madalena batia de porta em porta para pedir comida, “Fui lá pedir um pão para comer, porque estava com fome e não tinha pão na minha casa, aí ela [Maria] disse: ‘Não vou te dar pão, você vai morar comigo'”, explicou ela ao Fantástico.

Com a afirmação da mãe de Madalena, a adoção foi realizada, porém, não formalizada. Assim que ela foi até sua nova “casa”, ela foi retirada da escola.

Ela vivia apenas para ajudar os filhos da dona da casa, Maria, e para realizar tarefas domésticas sem brinquedos ou liberdade para sair sozinha. “Ela acordava às 4h da manhã para poder passar roupas. Ninguém podia ver ela conversando com alguém do prédio, você via que ela ficava com medo quando eles chegavam” foi relatado ao “Fantástico” por um morador que preferiu não se identificar.

Fonte indicada e adaptada: Catraca Livre e UOL

RECOMENDAMOS






Viciado em games, estudante de Educação Física na UFG, pai da Elisa (que ainda está pra nascer) e apaixonado por futebol. Em parceria com minha namorada Mariana, criamos a Carpe Diem com o objetivo de espalhar notícias boas e positivas. sempre antenados com a preservação ambiental.