Muito provavelmente você conhece (ou é) aquele famoso amigo amantes de gatos e aquelas pessoas que chamam seus cachorrinhos de filhos, não é mesmo? Uma pesquisa estudou que há muitas pessoas que realmente sentem mais afeição por seus bichinhos do que por outros seres humanos.

O estudo, que tinha como objetivo encontrar a razão de algumas pessoas sentirem mais afinidade por cachorros do que por outros humanos examinou também se as pessoas ficavam mais angustiadas ante o abuso de animais ou de pessoas.

O resultado foi surpreendente: as pessoas que leram as histórias da criança, do filhote e do cachorro adulto mostraram mais angústia e empatia do que o caso da pessoa adulta.

Os pesquisadores afirmam que os humanos tendem a se preocupar mais pelo sofrimento dos animais do que pela dor humana. Esse sentimento muda apenas quando a vítima é uma criança.

O que provavelmente se leva a consideração é que alguns humanos enxergam cachorros como animais vulneráveis, independentemente da idade. Por outro lado, um humano adulto tem a oportunidade de se defender. Isso também pode indicar que as pessoas amam seus animais como se fossem bebês ou membros de suas famílias.

O estudo revelou algumas contradições e indicou que as opiniões podem variar conforme cada pessoa.

Fonte indicada e adaptada: Incrível

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Mariana Marques
Sou estudante, apaixonada por Harry Potter, mãe da Elisa (que está pra nascer) e decidi criar, juntamente com o meu namorado Lucas, a Revista Carpe Diem. Vamos falar de temas atuais, sempre com foco na sustentabilidade e na divulgação de ações humanitárias.