Nas situações mais improváveis, encontramos cenas que nos emocionam e comovem. Foi o que ocorreu na data de ontem (quarta-feira – 7/7), em Angra dos Reis – Rio de Janeiro. Assaltantes tentavam roubar uma loja e a Polícia Militar foi chamada.

Quando os policiais chegaram ao local do crime, os assaltantes fizeram uma mulher, Vitória Oliveira, como refém e a levaram para a rua, sob a mira de um revólver e ainda sob constante ameaça de que a matariam.

Ao ver toda a cena, um policial civil que estava à paisana misturou-se às demais pessoas que acompanhavam a situação com apreensão e curiosidade e aos populares que acompanhavam a cena e pôs fim ao sequestro, salvando a vida de Vitória Oliveira.

“Graças a Deus ele foi lá, ele estava lá. Na hora eu corri. Só que quando eu corri, um outro policial me abraçou, e ali eu desabei. Porque ali eu tinha certeza que mais nada de mau ia acontecer comigo. Eu me mantive forte o tempo todo, mas ali eu não aguentei. Só senti alívio, alivio e felicidade por ter saído viva dessa situação que poderia ter sido bem diferente”, descreveu Vitória ao G1.

Sobre a importância desse abraço, pronunciou-se o perfil da PM-RJ em um post compartilhado no Instagram.

“Um abraço para dizer que passou! No momento do perigo e do medo estamos presentes. E após ele, também. Uma tomada de refém pode traumatizar uma vida para sempre. E, naquele momento, com o sangue em chamas, a prioridade é acolher a vítima. Antes de qualquer procedimento da ocorrência , o mais importante é mostrar que o perigo passou! ❤️”.

policial salva refem abraco scaled - Policial se abraça à vítima logo após salvá-la de sequestrador, no Rio

vitima scaled - Policial se abraça à vítima logo após salvá-la de sequestrador, no Rio

Fontes indicadas: G1 e Razões

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Revista Carpe Diem
Colha o dia, aproveite o momento...