A desumanidade e brutalidade do caso chocou a Internet após, na manhã do dia 18, um pitbull ser resgatado enrolado em cobertores e com muitas queimaduras por todo o corpo. foi resgatado pela ONG Alpa e levado a um hospital veterinário, onde ganhou, por escolha dos veterinários, o nome de Titan.

Titan foi socorrido por um homem que passava pelo local  e ouviu os gemidos e latidos do animal, levando-o, em seguida, para a ONG. Titan lá chegou com muitos ferimentos nas costas, no rosto e nas patas. Ao ser levado para o hospital veterinário,  constataram a gravidade do seu estado, com rins comprometidos e sangue na urina.

Antes mesmo disso, o cão mostrou sinais de maus tratos como mutilações na orelha, prática proibida em todo o país.

Sobre o responsável

O criminoso, reconhecido em um vídeo do exato momento do crime, confessou ter colocado fogo no animal, alegando que o cachorro estava com uma doença (afirmou à polícia).

Nas imagens, o homem desce do veículo, entra na mata e, minutos depois, deixa o local com o carro. As imagens mostram chamas e fumaça no ponto onde o animal foi deixado.

Confessado então esse crime verdadeiramente bárbaro o Departamento de Proteção e Bem-estar Animal (DPBEA) de Limeira aplicou uma multa de R$ 14.591,50 ao responsável com prazo de 20 dias para apresentação de defesa ou do pagamento da multa.

Essa brutalidade assusta e entristece a todos nós. Como compreender que o ser racional, o Homem, ainda consegue cometer crimes tão cruéis a seres tão indefesos como os cães? Essa multa ao menos nos dá a sensação de que eles são vistos e defendidos, de que não há impunidade, mas dinheiro algum não paga a vida de um ser.

Fonte indicada e adaptada: G1


RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Mariana Marques
Sou estudante, apaixonada por Harry Potter, mãe da Elisa (que está pra nascer) e decidi criar, juntamente com o meu namorado Lucas, a Revista Carpe Diem. Vamos falar de temas atuais, sempre com foco na sustentabilidade e na divulgação de ações humanitárias.